Hoje é Dia: semana traz 75 anos de Asa Branca e Dia da Música Clássica

Hoje é Dia desta semana relembra grandes figuras da música nacional. Na lista estão nomes como Heitor Villa-Lobos, cuja data de nascimento acabou sendo escolhida para marcar o Dia Nacional da Música Clássica, Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, os compositores do clássico do cancioneiro nacional, a música Asa Branca, e a compositora Chiquinha Gonzaga, apontada como a mãe do música popular do Brasil. Além disso, também serão comemorados nos próximos dias o Dia Mundial das Doenças Raras e o Dia Nacional do Livro Didático.

De acordo com o calendário, o carnaval também está marcado para os próximos dias – mas as festas que arrastam multidões pelas ruas do país foram, pelo segundo ano consecutivo, adiadas ou canceladas, em decorrência da pandemia do coronavírus. O carnaval não está na lista de feriados nacionais – apenas algumas cidades e um único estado, o Rio de Janeiro, tem leis locais que oficializaram a terça-feira de carnaval como feriado. Ainda na semana que começa neste domingo (27), uma data representativa para os católicos: a Quarta-Feira de Cinzas, que marca o início da Quaresma, período de preparação dos fiéis para a Páscoa.

120 anos de Lúcio Costa

No dia 27 de fevereiro de 1902 – há exatamente 120 anos -, nascia Lúcio Costa. O visionário arquiteto e urbanista é o autor do projeto de construção para uma nova capital para o Brasil: Brasília. A efeméride é lembrada pela Agência Brasil neste domingo, que conta que o enorme acervo de Lúcio Costa, com mais de 11 mil documentos – entre documentos pessoais (como fotografias de família, infância, viagens e até documentos de identificação) peças desenhadas, cerca de 80 projetos de arquitetura, urbanismo e paisagismo, desenhos ou pinturas não relacionadas com arquitetura (a carvão, aguarelas) obras escritas (como cinco livros, além de ensaios, artigos, depoimentos), correspondência, registos fotográficos e em vídeo – poderão ser consultados pelo público, gratuitamente e pela internet, a partir do mês de maio. A reportagem também traz, em primeira mão, alguns destes registros recuperados pela família do arquiteto e cedidos pela Casa da Arquictetura, em Portugal, que passa a abrigar o acervo de Lúcio Costa. Leia a matéria completa aqui, e ouça também na Radioagência Nacional:

Dia Nacional do Livro Didático

Também em 27 de fevereiro, é comemorado o Dia Nacional do Livro Didático. A data foi instituída com o intuito de destacar o material utilizado, tanto por educadores quanto por estudantes, para o aprendizado de milhões de brasileiros. A utilização do livro didático sempre foi importante na vida de um aluno ou de um professor: por reunir o conteúdo de forma simples e direta, o livro didático auxilia e complementa aquilo que é passado em sala de aula.

No Brasil, o governo federal, desde 1985, mantém o Programa Nacional do Livro e do Material Didático (PNLD). O programa distribui materiais didáticos para estudantes de escolas públicas de educação básica das redes federal, estaduais e municipais. Os alunos recebem, no início do ano letivo, um conjunto de materiais didáticos e os devolvem ao final deste ciclo de aprendizado; e recebem outro conjunto de livros no próximo ano.

O telejornal Repórter Brasil, da TV Brasil, trouxe a importância de comprar e vender livros didáticos usados. Confira abaixo.

Milhões de raros

Já no dia 28 de fevereiro, é lembrado, em todo o mundo, o Dia das Doenças Raras. O dia escolhido é 29 de fevereiro, justamente o dia mais raro do calendário. Mas como a data exato só acontece de quatro em quatro anos, nos demais anos o Dia Mundial das Doenças Raras é movido para o último dia do mês de fevereiro. Em 2020, o Caminhos da Reportagem, da TV Brasil, exibiu o episódio Vidas raras, contando histórias de pessoas diagnosticadas com alguma condição – são entre seis e oito mil doenças raras catalogadas pela ciência. A estimativa é que elas afetem em torno de 13 milhões de pessoas no Brasil. Assista o programa completo:

A mãe da música popular brasileira

Criadora da primeira marchinha do carnaval brasileiro, Francisca Edwiges Neves Gonzaga, mais conhecida por Chiquinha Gonzaga, marcou o imaginário do povo brasileiro para sempre. Composta em 1899, Ó Abre Alas ainda embala as festas carnavalescas atualmente. Além disso, ela foi a primeira mulher a reger uma orquestra e a fazer um chorinho no Brasil. Em 28 de fevereiro deste ano, são 87 anos de sua morte (leia matéria especial da Agência Brasil de 2020, quando completaram-se 85 anos de seu falecimento).

Vinda de uma educação erudita, Chiquinha é considerada por muitos como a mãe da música popular brasileira. Com apenas 11 anos de idade, ela compôs a sua primeira canção e, mais tarde, passou a  influenciar, ao longo de sua carreira, diversos artistas – por conta da sua capacidade de transitar por inúmeros gêneros musicais. Com a composição de Ó Abre Alas, ela entrou de vez no universo do carnaval.

Natural do Rio de Janeiro, Chiquinha nasceu em 1947 e também foi autora de diversas composições para teatro. Nesse contexto, ela fez parte do grupo dos fundadores da Sociedade Brasileira dos Autores Teatrais (SBAT). O programa De Lá Pra Cá, da TV Brasil, feito na ocasião dos 110 anos de Ó Abre Alas, conta, na primeira de suas três partes, um pouco da trajetória desta mulher vanguardista. Assista:

Hino do nordestino

No dia 3 de março de 1947, foi lançada, por Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, a icônica canção Asa Branca, considerada por muitos o hino do nordestino. Gravada em dez idiomas, além do português, a composição é tida como uma das cinco músicas mais importantes da cultura brasileira e uma das canções mais tocadas em festas juninas por todo o país.

Tratando da seca no sertão nordestino, Luiz Gonzaga, através de Asa Branca, levou a cultura do Nordeste para todo o Brasil. A canção possui uma melodia simples e retrata a saga do sertanejo, que se vê forçado a deixar sua terra diante da falta de água. Intensa, a música traz riqueza tanto em sua letra como em sua composição.

Confira abaixo a performance de Asa Branca feita pelo grupo Forró Miudinho para o Música Animada, da TV Brasil:

O maestro do Brasil

No dia 5 de março, é celebrado o Dia Nacional da Música Clássica (leia mais na matéria da Agência Brasil). A data é uma justa homenagem ao dia de nascimento de maestro brasileiro Heitor Villa-Lobos. Instituída em 2005, a data foi criada para celebrar e promover a importância e a grandeza da música clássica nacional, após a constatação que não havia um dia dedicado ao gênero no país. E a deferência a Villa-Lobos, fundador da Academia Brasileira de Música (ABM) e compositor de quase duas mil obras, dentre Bachianas Brasileiras, choros, concertos e obras para violão.

Villa-Lobos é natural do Rio de Janeiro e é tido como o compositor mais criativo da música clássica brasileira do século 20. Ele ficou conhecido por imprimir em suas músicas um grau sentimental único. Dessa forma, além da técnica primorosa, o maestro foi o responsável por desenvolver uma linguagem mais brasileira na música, destacando-se por um equilíbrio em suas composições. Nesse contexto, o compositor também utilizou nas suas obras elementos folclóricos próprios do imaginário nacional, uma atitude inovadora para a época.

O maestro faleceu em 17 de novembro de 1959, vitimado por um câncer. O programa Partituras, da TV Brasil, apresentou um especial com as obras de Villa-Lobos que, além de mostrar a genialidade do compositor, também homenageia toda a música clássica brasileira. Confira:

Confira a lista semanal do Hoje é Dia com datas, fatos históricos e feriados:

27 de fevereiro a 4 de março de 2022

27

Nascimento do tenista mineiro Bruno Soares (40 anos) – especialista em duplas, obteve o feito histórico de vencer dois Grand Slams em 16 horas nas finais de duplas do Aberto da Austrália, em 2016

Nascimento da atriz anglo-americana Elizabeth Taylor (90 anos)

Nascimento do arquiteto e urbanista franco-brasileiro Lúcio Costa (120 anos)

Início oficial do funcionamento ao público da estação Cantagalo, do Metrô do Rio de Janeiro  (15 anos)

28

Nascimento do cartunista fluminense Jaguar, pseudônimo de Sérgio de Magalhães Gomes Jaguaribe (90 anos)

Dia Mundial das Doenças Raras

1

Nascimento do artista plástico cearense Leonilson (65 anos)

Nascimento da cantora norte-americana Kesha (35 anos) – processou e acusou de abuso o produtor musical Dr. Luke, em caso que ganhou grande repercussão

No mês de março, foi lançado o LP Clube da Esquina (50 anos)

Início da gravação Lucy in the Sky With Diamonds (55 anos) – canção da banda britânica The Beatles

Sonda espacial soviética Venera 13 envia à Terra as primeiras imagens coloridas da superfície de Vênus (40 anos)

Invasão norte-americana do Afeganistão (20 anos) – início da Operação Anaconda

Terça-feira de carnaval – feriado em alguns municípios e no estado do Rio de Janeiro

2

Nascimento do cantor e compositor mineiro Nelson Ned (75 anos)

Nascimento da pianista, atriz e compositora pernambucana Diná de Oliveira (115 anos)

Nascimento do compositor e pianista paulista José Carlos Amaral Vieira (70 anos)

Quarta-feira de Cinzas – data católica que marca o início da Quaresma, período de preparação dos fiéis para a Páscoa

3

Nascimento do cantor, compositor e ator gaúcho Vitor Mateus Teixeira, o Teixeirinha (95 anos)

Nascimento do engenheiro anglo-americano Alexander Graham Bell (175 anos)

Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira gravam a canção Asa Branca (75 anos)

Dia Internacional do Cuidado Auditivo

Dia Mundial da Vida Selvagem – data instituída pela ONU

4

Nascimento da cantora, compositora e atriz sul-africana Miriam Makeba, a Mama Africa (90 anos)

5

Nascimento do compositor fluminense Heitor Villa- Lobos (135 anos)

Nascimento do cineasta, poeta e escritor italiano Pier Paolo Pasolini (100 anos)

Nascimento do artista plástico pernambucano Cícero Dias (115 anos)

Dia Nacional da Música Clássica

Open Data Day (data móvel) – é uma comemoração anual sobre dados abertos realizada em diversas instituições no mundo, através da qual grupos de todo o mundo criam eventos locais para celebrar e debater a importância de acessar, utilizar, modificar e compartilhar dados para qualquer finalidade. É uma oportunidade de mostrar os benefícios dos dados abertos e incentivar a adoção de políticas de dados abertos em governos, em empresas e na sociedade civil

Fonte: Agência Brasil-EBC

Deixe uma resposta

Insira seu comentário
Insira seu nome