Sterling e Walker, do City, sofrem ofensas racistas nas redes sociais

Jose Coelho/Reuters

Os jogadores Raheem Sterling e Kyle Walker, do Manchester City, sofreram com mensagens racistas no Instagram após a derrota do time por 1 a 0 para o Chelsea na final da Liga dos Campeões no sábado (29), e a empresa de mídia social removeu as contas dos usuários agressores.

A Sky Sports relatou que os dois receberam uma série de emojis de macaco em seus perfis do Instagram após o jogo.

Sterling também havia sido alvo após a vitória do City na semifinal sobre o Paris Saint-Germain.

“O abuso racista sofrido por esses jogadores na noite passada é abominável e não queremos isso no Instagram”, disse um representante do Facebook, dono do Instagram, em um comunicado neste domingo. “Removemos rapidamente uma série de comentários e contas por quebrarem nossas regras e continuaremos revisando e tomando medidas contra aqueles que violam nossas políticas.” “Nada resolverá esse desafio da noite para o dia, mas estamos empenhados em fazer o que pudermos para manter nossa comunidade protegida de abusos”, acrescentou.

Champions League Final - Manchester City v Chelsea - Kyle Walker - racismo
Lateral-direito Kyle Walker sofreu ofensas racistas após a derrota do Manchester City por 1 a 0 na final da Liga dos Campeões neste sábado (29) – Reuters/Carl Recine/Direitos Reservados

Vários jogadores de clubes da Premier League foram alvos de ataques semelhantes nos últimos meses, incluindo Anthony Martial, do Manchester United, Trent-Alexander Arnold e Sadio Mané, do Liverpool, e Reece James, do Chelsea.

O atacante do Manchester United, Marcus Rashford, disse que foi submetido a “pelo menos 70 calúnias raciais” nas redes sociais após a derrota na última quarta-feira para o Villarreal na final da Liga Europa.

Em fevereiro, órgãos do futebol inglês enviaram uma carta aberta ao Facebook e Twitter na qual exigiam atitudes mais enérgicas para derrubar publicações ofensivas, bem como melhorar o processo de verificação dos usuários.

O Instagram anunciou providências e o Twitter tomou medidas em mais de 700 casos de abusos relacionados a futebol no Reino Unido em 2019.

Fonte: Agência Brasil.

Deixe uma resposta

Insira seu comentário
Insira seu nome